Game of Thrones Vai Salvar Todos Nós

Brittany Hunter

Terça, 15 de Agosto de 2017

Neste final de semana um dos mais desagradáveis aspectos da humanidade foi posto em uma tela para o mundo todo ver. Como o protesto de Charlottesville dominou o ciclo de notícias e os feeds das mídias sociais por vários dias, não há necessidade de entrar em detalhes. É suficiente dizer que os eventos dessa semana favoreceram as divisões que tem crescido neste país (EUA) há muito tempo atrás.

Enquanto alguns podem opinar que essas divisões se originaram unicamente na “era do Trump”, a verdade é que o país vem crescendo em pedaços por décadas, se não mais.

Com a administração de Obama, nós tínhamos o Partido do Chá, movimento que se opõe ao governo inflado e altas taxas. Quando Jhonson estava no poder, hippies contra cultura desenvolveram uma oposição ao recrutamento forçado e a violência patrocinada pelo Estado no Vietnã. Durante a administração de Nixon, movimentos de “lei e ordem” cresceram à medida que os conservadores viam os “despreocupados” e amorosos hippies como uma ameaça ao modo de vida americano.

Não importa quem está no poder ou qual ideologia está corriqueiramente ditando as leis do país, divisões sempre existiram e sempre existirão. Esta é uma das consequências de se ter uma sociedade composta por indivíduos. Não importa o que aconteça, diferenças de opinião irão sempre ocorrer.

Contudo, enquanto nossos feeds de notícias continuarem sendo preenchidos de uma falha de comunicação dos indivíduos entre si, há um momento de calma  que ocorreu no Domingo à noite.

Todo mundo odeia a Cersei

Apesar de fervorosamente discordar com muitos dos meus amigos em suas posições políticas, há um tópico que parece unir até mesmo meus oponentes ideológicos mais dignos: Game of Thrones.

Como alguém com tantas opiniões e afinidade pelas palavras, estou constantemente e publicamente espalhando meus pontos de vista ao longo da semana. E enquanto eu estou trabalhando e me tornando um debatedor mais amigável e empático, muitas vezes minhas emoções conseguem o melhor de mim e as coisas têm uma tendência a se tornarem feias rapidamente antes mesmo de ter percebido isso.

Contudo, enquanto a divisões políticas nos mantém isolados em nossa bolha preferida, Game of Thrones demoliu divisões políticas e ideológicas e permitiu que os indivíduos se juntassem nas redes sociais, uma noite por semana.

No dia a dia da vida, a natureza do poder e o potencial dano que isso cria para todos que estão debaixo dele, são frequentemente perdidos numa larga porção da população. E justificadamente. Para a maior parte das pessoas, as preocupações do dia a dia tem prioridade sobre a necessidade de constantemente analisar o equilíbrio de poder entre os governos e as pessoas. E ao contrário de nós que fazemos dessas discussões nossa profissão, pessoas “normais” estão mais preocupadas com imediatas e pressionantes preocupações.

Mas por uma hora em cada semana, e sem perceber isso, espectadores habituais de Game of Thrones são expostos a linhas de história que reforçam temas que eu gasto minha semana argumentando sobre, nas redes sociais. Enquanto meus próprios discursos retóricos emocionais nem sempre são mais efetivos em mudar mentes e corações, Game of Thrones consegue, de alguma forma, alcançar o sucesso onde eu frequentemente falho.

A série apresenta uma infinidade de vilões claros. Qualquer um com uma alma sabe que Cercei é uma má pessoa pois ela é uma caricatura de uma pessoa autoritária. Até as deficiências de Daenerys evidencia a natureza corruptora do poder, como já escrevi anteriormente.

Em qualquer outro momento durante a semana, eu poderia publicar algo negativo ou positivo sobre Donald Trump apenas para receber opiniões opostas e muitas vezes odiosas. Mas quando eu expresso minha opinião sobre o último episódio de Game of Thrones, minha página é preenchida com comentários daqueles que costumam sair do meu caminho para evitar interagir comigo para que não sejam bombardeados com meu libertarianismo “louco”.

Milagrosamente suficiente, quando Game of Thrones apresenta esses temas, que é indiscutivelmente uma plataforma melhor e mais cara que a que eu tenho, as pessoas ouvem. A partir disso, eu posso conectar esses temas à vida real de uma forma que ressoa bem até para os mais combativos críticos.

Isso pode parecer um absurdo, afirmar que uma série de televisão está quebrando construções sociais e políticas que construímos em volta de nós mesmo, mas a cada semana isso é demonstrado.

Cultura pop construindo pontes

A ponte sobre as lacunas políticas e ideológicas não são exclusivas de Game of Thrones. Isso pode acontecer através de uma variedade de meios culturais. Enquanto pessoalmente eu prefiro uma boa batalha de dragão do que um jogo de futebol, eventos de esportes também servem como um grande unificador entre as linhas partidárias.

Individuos que se opõem um aos outros em todos os níveis, conseguem de alguma forma colocar suas diferenças de lado para defender um time. Então, existe uma camaradagem ao visualizar a mesma coisa juntos ao mesmo tempo. Isso nos lembra que enquanto nós todos somos entidades individuais, nós todos somos parte do mesmo universo e, pelo menos, vamos “andar” na vida um dos outros e isso impacta a pessoa que nós vamos um dia nos tornar.

Ideias dividem, o que não é necessariamente uma coisa ruim. Ideias e as formulações nos ajudam a construir nossa identidade individual e com isso, nosso núcleo de princípios. Mas a vida não precisa ser sempre tão séria. Existe uma beleza em colocar as diferenças de lado para desfrutar da arte ou recreação juntos, como seres humanos.

Como nós vemos neste fim de semana, na vida real quanto em Westeros, que existe um mal caminho. Nós podemos nos proteger da melhor maneira possível contra isso quando nós conseguimos encontrar um terreno em comum e um axioma do qual possamos construir um discurso civil.

Traduzido por: Evandro Roque

 

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *