Grupo Domingos Martins entrevista João Paulo Meincike: “Acredito que a redução da carga tributária seria mais saudável à economia”

13265958 10204898344333509 8510359095197640035 n - Grupo Domingos Martins entrevista João Paulo Meincike: "Acredito que a redução da carga tributária seria mais saudável à economia"


Nesta quinta-feira (02) aconteceu o “Dia da Liberdade de Impostos”. O evento principal contou com a tradicional venda de combustível sem a incidência de impostos, no Posto Enseada, ao lado do Horto Mercado, na Enseada do Suá (Vitória). Neste dia tivemos a gasolina mais barata do Brasil, que foi vendida a R$ 1,58 o litro. Cada carro pode abastecer até R$ 40,00 e cada moto até o limite de R$ 10,00. Para tanto, foram distribuídas senhas por ordem de chegada. Outras ações foram realizadas entre os quiosques 2 e 3 da Praia de Camburi, com o “Cemitério de Empresas”, representando a alta taxa de mortalidade empresarial nos anos de 2015 e 2016, fato que culminou na extinção de milhares de empregos.O objetivo dos dois eventos é conscientizar a população da alta carga tributária e da complexidade fiscal existentes em nosso país, bem como da má destinação dos recursos arrecadados.

Um dos organizadores do evento é o diretor-jurídico do CDL Jovem, João Paulo Meinicke. Aos 28 anos, ele, que é formado em Direito pela FDV e pós-graduado em Direito Processual Civil pela FDV, conversou com a gente sobre detalhes do Dia da Liberdade de Impostos. Entre outras coisas, Meinicke esclarece que as ações realizadas no DLI estão inseridas na atuação da CDL Jovem Vitória na melhora do ambiente regulatório do Espírito Santo, parte integrante do plano de intervenções da Federação Capixaba de Jovens Empreendedores (FECAJE) no ecossistema empreendedor capixaba. Confira:

Grupo Domingos Martins – Gabriel Xibli – Como surgiu a ideia do Dia da Liberdade de Impostos? 

João Paulo Meinicke – A ideia surgiu há 10 anos atrás, a partir da insatisfação dos lojistas em relação à alta carga tributária (embora fosse menor do que é hoje), da complexidade fiscal e da má destinação dos recursos arrecadados.

GDM – No ano passado foi armada uma “Loja Sem Imposto” em um shopping da capital. Em 2016, um posto vai vender seu combustível 56% mais barato do que em dias normais. Como este estabelecimento foi escolhido? Por quê? 

JPM – O Posto Enseada já é nosso parceiro de eventos passados e está patrocinando o presente com 2.500 (dois mil e quinhentos) litros de gasolina a ser vendida sem imposto, os tributos dos 1.500 (mil e quinhentos) litros restantes estão sendo recolhidos pela CDL Vitória, com recursos próprios e de patrocinadores externos. A escolha do posto se deu por conta da sua localização de fácil acesso na capital e da possibilidade de organização da fila sem prejuízo do fluxo de veículos na via pública.

GDM – O proprietário do posto “toma prejuízo” por aderir ao Dia da Liberdade de Impostos? Explique.

JPM – O dono do posto não sai prejudicado. O patrocínio é oferecido de forma voluntária e o empresário tem como retorno a divulgação de seu estabelecimento nas diversas chamadas de mídia espontânea do evento (matérias escritas e transmitias por filmagens em jornais, revista e portais online);

GDM – Algum outro estabelecimento comercial já apoiou o evento em anos anteriores? Caso positivo, nos conte como foi a experiência? 

JPM – Sim. Todos os anos recebemos o apoio de empresários, que disponibilizam ao evento: espaço físico para realização, material publicitário, produtos para venda sem impostos ou mesmo patrocínio financeiro.

GDM – Existe alguma expectativa de que mais empresários apoiem e adiram à ideia nos próximos anos? 

JPM – Sim. A ideia é tornar o projeto cada vez mais forte.

GDM – Você acha que cobrar altos impostos é justificável se houver retorno por meio de serviços públicos? 

JPM – A falta de retorno dos pesados tributos pagos pela população é inadmissível e esta crítica é uma das pautas do DLI. Pessoalmente, acredito que a redução da carga tributária seria mais saudável à economia e ao país do que a manutenção da tributação em patamares elevados, mesmo diante do correspondente retorno destes tributos na forma de serviços públicos.

GDM – Foi realizado algum balanço do evento no ano passado? Qual é a expectativa para este ano? 

JPM – No ano passado, a loja instalada no Shopping Vitória foi visitada por centenas de pessoas. Para este ano, com a realização de dois eventos simultâneos – o tradicional do posto e o cemitério de empresas, na Praia de Comburi -, pretendemos alcançar e conscientizar um número ainda maior de pessoas.

Relacionados

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *