ENTREVISTA: MOVIMENTO LIBERAL ACORDA BRASIL

O Movimento Liberal Acorda Brasil atuou fortemente nas manifestações pró impeachment, contra corrupção e é a favor de reformas políticas. O entrevistado é Heduan Pinheiro, que tem 36 anos e atua no movimento como Conselheiro Administrativo.

Heduan Acorda 300x225 - ENTREVISTA: MOVIMENTO LIBERAL ACORDA BRASIL

Heduan Pinheiro

GDM: Como você conheceu e se aproximou do liberalismo?

HP: Foi por acaso durante a faculdade, quando me envolvi com o centro acadêmico de Engenharia Civil. Não entendia nada de teoria política mas nosso grupo de amigos batia de frente com o Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal do Paraná que era liderado por pessoas ligadas ao PSTU e PT. Considerávamos que suas propostas não funcionavam e não ajudavam em nada os estudantes e viviam pleiteando sem sucesso verba pública para financiar projetos que normalmente eram de utilidade duvidosa. Enquanto isto nós vendíamos serviços úteis para os alunos como, fotocópias, encadernações, organizávamos eventos extra-curriculares e festas. Sempre arrecadávamos dinheiro e com isto mais e mais projetos eram executados. Os debates em eventos e nas eleições estudantis eram sempre tumultuados. Me chamava atenção que nossos opositores não conseguiam construir um argumento consistente contra nós. Suas razões eram sempre superficias e vazias, muitas não faziam sentido, apelavam para ataques pessoais e assumiam posicionamento retórico. Parecia sempre uma cartinha a ser seguida. Tudo isto começou a despertar o interesse em entender por que tantas pessoas defendiam coisas que não funcionavam e diziam coisas que não faziam sentido. Com amigos, com família e com professores não consegui muita coisa. Sozinho começei a buscar na internet que na época oferecia já muito conteúdo mas de difícil acesso. Nos fóruns relacionados com o assunto comecei a encaixar pequenas peças de um quebra cabeça enorme que só fui entender melhor quase 10 anos depois. O nome liberalismo e as ideias liberais só começaram a fazer sentido para mim há uns 5 anos como um sistema conceitual e bem fundamentado.

GDM: Em qual contexto e com quais objetivos foi criado o Movimento Liberal Acorda Brasil?

HP: Não fui fundador do grupo mais entrei para ele poucas semanas depois de sua criação por justamente me sentir muito identificado com suas ideias e seus objetivos. O Movimento Liberal Acorda Brasil foi fundado com o objetivo de disseminar o pensamento conservador-liberal no Brasil. Buscamos suprir o vácuo existente no atual sistema político através de uma voz independente, que dê à sociedade instrumentos de pressão junto aos poderes do Estado. Nossa atuação central é no desenvolvimento de propostas de mudanças fundamentais para que nosso país atinja um novo patamar de desenvolvimento, com uma economia forte e vibrante, livres da onerosa burocracia resultante de um Estado controlador e agigantado. Tal motivação surge num contexto de grande descrédito em relação às nossas intituições democráticas que nunca funcionam aliado a um sentimento de revolta perante as revelações constantes de corrupção e sua respectiva impunidade que ceifam o Brasil principalmente a partir da virada do milênio e culminou na reeleição da ex-presidente Dilma. Em resumo, é um movimento de proposição e interlocução política baseado nos pilares como o Estado de Direito, Federalismo, Poderes Independentes, Liberdade Individual e Empreendedorismo.

Acorda 300x225 - ENTREVISTA: MOVIMENTO LIBERAL ACORDA BRASIL

Membros do Movimento Acorda Brasil

GDM: O co-fundador do grupo, Luiz Philipe de Orléans e Bragança é descendente da família real brasileira. O grupo tem preferência por alguma forma de governo, como a monarquia parlamentarista?

HP: Nós não assumimos a defesa exclusiva de um Sistema de Governo. Pois não acreditamos que exista apenas um modelo ideal. Mas observamos claramente com a prática e a História que alguns sistemas são melhores que outros, como as Repúblicas Parlamentaristas e Monarquias Parlamentaristas. O fundamental para nós é a Estrutura do Estado. Se esta constituir determinadas características, qualquer um dos dois modelos e até mesmo o Presidencialismo (nos moldes estadunidenses) funcionará muito bem.

GDM: O Movimento, assim como o Grupo Domingos Martins, é a favor da diminuição do Estado. O que vocês consideram como prioridade para a progressão deste objetivo?

HP: São diversas medidas simultâneas que devemos adotar. Algumas com resultados quase imediatos são a desregulamentação da atividade econômica e extinção de monopólios, reforma política que contemple voto distrital e fim do fundo partidário, imposição de limites ao governo como o processo de RECALL, diminuição do funcionalismo público e cargos de comissão nas três esferas de poder incluindo ministérios, secretarias e assessorias e por fim, privatizações. Num segundo momento, questões mais estruturais e consistentes como a simplificação e/ou diminuição da carga tributária – temos inclusive um projeto de transparência já em andamento em várias câmaras municipais que atua nesta área -, descentralização política e tributária criando mais autonomia nos Estados e Municípios e enfraquecendo o poder da União.

GDM: O grupo teve uma relevante participação nos protestos organizados a favor do impeachment da ex-Presidente Dilma Rousseff, tanto na divulgação de ideias quanto na mobilização. Você acredita que esse processo teve influência na promoção de ideias liberais?

HP: Plantamos uma semente que ainda não germinou. Somos apenas uma força dentro de um conjunto enorme de outras forças que estão, cada uma da sua maneira, contribuindo para formar novamente uma ATIVA maioria liberal-conservadora em nosso país. O trabalho está só começando. Serão décadas ainda até este trabalho gerar frutos.

GDM: Qual é o posicionamento e opinião do movimento acerca das reformas propostas pelo governo Temer, e como o movimento vê os atuais escândalos envolvendo o Presidente?

HP: Nosso país necessita urgentemente não apenas de reformas mas de mudanças estruturais. Nossas propostas são parecidas com as que foram encaminhadas pelo Governo Temer originalmente. Achamos ainda brandas pois elas não contemplam a redução ou eliminação de privilégios dos integrantes dos Poderes. Porém, independentemente disso, tais reformas perderam a essência das reais mudanças quando sofreram alterações significativas no Congresso Nacional. A mentalidade brasileira refletida por nossos representantes ainda é muito paternalista, logo, dependente do Estado, infelizmente. Já os escândalos que envolvem o atual presidente são de grande tristeza mais uma vez para os brasileiros mas que para nós, não gerou surpresas. As denúncias devem urgentemente ser investigadas, deve-se cumprir todo o rito legal e seus autores sofrerem as condenações cabíveis, assim como todos os indícios de corrupção envolvendo qualquer político e partido, desde Lula a Aécio, de Temer a Sarney. Bandido de estimação é algo abominável e não deveria existir como vemos por aí.

GDM: Quais têm sido as atuações e frentes de trabalho da instituição no momento?

HP: Após o impeachment passamos por um período de reoganização interna, avaliação e reflexão sobre o cenário político brasiliero que ainda não finalizou, mas hoje já temos algumas frentes de atuação para propagar o pensamento liberal-conservador através de palestras, publicações – um livro está sendo rodado e em algumas semanas já estará no mercado – e um concurso para premiação de estudantes de universidades que será lançado em breve.

GDM: Quais são os planos e sonhos do Movimento Liberal Acorda Brasil para os próximos meses?

HP: Estamos organizando um grande evento para debates de ideias e com propostas viáveis de implantação para melhorar o Brasil. Envolverá grandes nomes com propriedade reconhecida nos temas abordados. Nossos sonhos ultrapassam os próximos meses… Sonhamos com um Brasil muito bem estruturado no qual a prosperidade, segurança e riqueza do povo brasileiro sejam sinônimos da Ordem e Progresso estapados em nossa Bandeira.

GDM: Muitos grupos estão surgindo ao redor do Brasil impulsionados por jovens que desejam debater e promover a liberdade. Qual mensagem que você em nome do grupo deixa para esses jovens?

HP: O Brasil do futuro se constroi hoje com muito trabalho, estudo sincero que desenvolva a lógica e principalmente liberdade. Liberdade de pensar, de raciocinar, de debater com argumentos coerentes e finalmente de agir. Devemos ser executores a fim de transformar sonhos em realidade, testar nossas crenças a fim de constatar sua validade. Defender ideias ficando apenas no campo da imaginação não é nem utopia, é ideologia barata. A História mundial está cheia de bons e maus exemplos. Não precisamos perder muito tempo reinventando a roda, vamos olhar os países que dão certo, os países com melhor indices gerais e vamos copiá-los ajustando o que for necessário à nossa realidade. Chega de nos enganar com ideias que nunca deram certo. Por fim, nada disso se faz possível se não houver indivíduos com uma base mínima de valores tais como o respeito e a cordialidade. O ego precisa sempre, continuamente, ser bem administrado.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *