A Vitória da Liberdade: quando ser esquecido é algo bom

9174129235 24cb839820 b - A Vitória da Liberdade: quando ser esquecido é algo bom

Ao conversar sobre política com as pessoas é comum ouvir delas que o que o governo precisa fazer mais e que deveria prestar mais atenção no povo. Pedem que o governo resolva todos os seus problemas, afinal, pagamos impostos!

E essas mesmas pessoas ficam indignadas quando é noticiado um novo escândalo de corrupção, indignam-se com os péssimos resultados das políticas que defendem e imaginam que isso ocorreu porque a intervenção não foi suficiente: então demandam mais intervenção e novamente os resultados não são satisfatórios”, causando mais crises e aumento de nossa já enorme carga tributária.

Todavia, quando se pede por um governo que resolva tudo, um estado provedor e paternalista, crises e corrupção são tão naturais quanto à revolta que elas geram. Como diz o economista americano Thomas Sowell:

“Quando as pessoas querem o impossível somente os mentirosos podem satisfazê-las”.

Quem vive no Espirito Santo tem o sentimento de viver em um local esquecido, como se o resto do Brasil esquecesse que Rio de Janeiro não faz fronteira com a Bahia e que não há praia em Minas Gerais, e acreditem: Isso pode ser muito bom!

Na obra “Pare de acreditar no Governo”[1] no capitulo sobre a colonização do Brasil, Bruno Garschagen (natural de Cachoeiro de Itapemirim) diz que:

“O que nem todos sabem é que nesse mesmo momento histórico [período entre a chegada de Cabral e a efetiva colonização do Brasil] desenvolveu-se no território um ambiente comercial empreendedor e próspero. E assim o foi porque a coroa portuguesa não tinha meios para controlar tudo o que acontecia numa dimensão territorial tão vasta”.

Enquanto o povo clama por mais ajuda do estado, ele se esquece de pensar que talvez só precise ser “deixado em paz”.  Assim como a nação mais empreendedora dos tempos atuais conquistou sua independência lutando para que a Inglaterra a “deixasse em paz”. Vitória, a pequena capital esquecida do Sudeste é escolhida como uma das melhores cidades para se empreender no País[2], e o Estudantes pela Liberdade aqui, um dos maiores grupos de todo o Brasil: quando as pessoas aprenderem a viver apesar do governo, por conta própria, mais livres e prósperas elas serão. Quando o estado é um empecilho, as pessoas só querem ser esquecidas e deixadas em paz.

O site do Estudantes pela Liberdade Espirito Santo tem novas publicações todos os dias às 19h


[1] Compre “Pare de Acreditar no Governo”, Bruno Garschagen

[2]  “Vitória é a melhor cidade para os negócios no Brasil”, Revista Exame

 

Relacionados

Comentários

Comentários

2 Responses to “

  • Excelente texto!!

  • O artigo é interessante, apenas faço um adendo sobre os lados bom e ruim do esquecimento: se por um lado não precisamos desses laços com o governo para se desenvolver, por outro este impõe restrições na questão da infraestrutura, uma vez que boa parte dela está em mãos federais. Mais um motivo para se defender o federalismo, neste caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *